Veja como indicar o CFOP nas Compras e Entradas

O sistema tributário brasileiro é composto por vários códigos, utilizados para organizar e facilitar o pagamento de imposto pelas empresas.

CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) informa a natureza da circulação de uma mercadoria ou da prestação de um serviço. Por meio desse código numérico é possível determinar se a operação terá ou não que recolher impostos, como ICMS ou IPI. O CFOP deve constar na emissão de notas fiscais, escrituração de livros e no preenchimento de guias e nas declarações de impostos. Mas como indicar o CFOP nas compras e entradas? Fique por dentro no post de hoje!

Qual é o padrão do CFOP?

O CFOP é composto por quatro dígitos, o primeiro dígito determina a natureza da transação, ou seja, se é uma operação de entrada ou saída de bens ou serviços. Por sua vez, o código final determina a situação tributária.

É importante notar que o sufixo que compõe o CFOP é também um código próprio, denominado CST (Código de Situação Tributária). Este código determinará se a transação é isenta, não tributável, totalmente tributável, parcialmente tributável e assim por diante. O CST compõe os dois últimos dígitos do CFOP.

Quais são os prefixos do código CFOP?

Os prefixos do código e suas aplicações são os seguintes:

  • 1 – Entrada de Mercadoria ou Aquisição de Serviços de dentro do Estado.
  • 2 – Entrada de Mercadoria ou Aquisição de Serviços de fora do Estado.
  • 3 – Entrada de Mercadoria ou Aquisição de Serviços do Exterior.
  • 4 – Prefixo não utilizado
  • 5 – Saída de Mercadoria ou Prestação de Serviços para dentro do Estado.
  • 6 – Saída de Mercadoria ou Prestação de Serviços para fora do Estado.
  • 7 – Saída ou prestações de serviços para o exterior

Como indicar o CFOP nas saídas e entradas de mercadorias?

Toda a vez que uma empresa executa certos tipos de operação, como, por exemplo, a venda de insumos para uma fábrica, deve introduzir uma categoria do código CFOP no registro da nota fiscal.

Na nota fiscal de entrada deve constar o número 1 ou número 2:

  • número 1 deve ser usado quando o endereço do fornecedor é no mesmo estado do comprador. Por exemplo: Quando a sua empresa e a empresa do fornecedor estão localizadas em Minas Gerais.
  • número 2 deve ser usado quando o endereço do fornecedor é de um estado diferente de onde se localiza a empresa. Por exemplo: A sua empresa é localizada em Minas Gerais e compra de um fornecedor do Estado de São Paulo.

    Na nota fiscal de saída deve constar o número 5 ou o número 6:

  • número 5 deve ser usado quando o estado do cliente é o mesmo da empresa. Por exemplo: A sua empresa e a empresa compradora estão localizadas no estado de Minas Gerais.
  • número 6 deve ser usado quando o cliente é de um estado diferente do da sua empresa. Por exemplo: A sua empresa é localizada em Minas Gerais e vende para uma empresa localizada em São Paulo.

A sua empresa indica corretamente o CFOP na entrada e saída? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Entre em contato com a Hiper e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

VEJA TAMBÉM

5-dicas-para-fazer-consulta-no-serasa-e-evitar-calotes-de-clientes
Vender sempre mais: esse é, sem dúvidas, o desejo de todo empresário.…
qual-e-a-importancia-do-comprovante-de-pagamento
O financeiro de uma empresa é o que a mantém respirando.…
entenda-as-principais-normas-fiscais-e-saiba-ao-que-ficar-atento
No Brasil a tributação é um assunto polêmico, principalmente…
5-dicas-para-fazer-consulta-no-serasa-e-evitar-calotes-de-clientes
Vender sempre mais: esse é, sem dúvidas, o desejo de todo empresário.…
qual-e-a-importancia-do-comprovante-de-pagamento
O financeiro de uma empresa é o que a mantém respirando.…
entenda-as-principais-normas-fiscais-e-saiba-ao-que-ficar-atento
No Brasil a tributação é um assunto polêmico, principalmente…
Com a evolução da tecnologia e as inúmeras vantagens trazidas…